Header Ad

Categories

Most Popular

Most Viewed

Marcas Próprias: Setor prevê crescimento em 2020

Foi-se o tempo em que marca própria estava associada a um produto de baixa qualidade e preço reduzido. Hoje, as empresas investem em tecnologia com o objetivo de levar ao consumidor não apenas produtos em nível de competição com as marcas referência a preço acessível, mas também com a agregação de conceitos, como inovação, bem-estar, sustentabilidade.

O segmento de marcas próprias deve registrar, neste ano, crescimento de 9,6% nas vendas, movimentando R$ 8 bilhões. A projeção é da Associação Brasileira de Marcas Próprias (Abmapro), com base em pesquisa realizada pela entidade em parceria com a consultoria Nielsen, segundo a qual, em abril, houve um aumento de 32,6% somente nas vendas das commodities arroz, feijão e leite de marcas próprias em relação ao mesmo período de 2019.

O segmento de marcas próprias deve registrar, neste ano, crescimento de 9,6% nas vendas, movimentando R$ 8 bilhões. A projeção é da Associação Brasileira de Marcas Próprias (Abmapro), com base em pesquisa realizada pela entidade em parceria com a consultoria Nielsen, segundo a qual, em abril, houve um aumento de 32,6% somente nas vendas das commodities arroz, feijão e leite de marcas próprias em relação ao mesmo período de 2019.



Foi-se o tempo em que marca própria estava associada a um produto de baixa qualidade e preço reduzido. Hoje, as empresas investem em tecnologia com o objetivo de levar ao consumidor não apenas produtos em nível de competição com as marcas referência a preço acessível, mas também com a agregação de conceitos, como inovação, bem-estar, sustentabilidade. “No ano passado, as grandes redes de varejo alcançaram crescimento expressivo com suas marcas próprias, especialmente nas categorias de alimentos, cuidados pessoais, higiene, limpeza, produtos para animais de estimação e farmacêuticos”, afirma Luiz Fernando Oliveira, diretor da Brazil Media Communications, que organiza a Private Label Brazil, principal feira de negócios para o setor de marcas próprias e terceirização da América Latina.

A Private Label de 2020 foi transferida para outubro de 2021, nos dias 6 e 7, em razão das restrições impostas pelo isolamento social decorrente da pandemia da Covid-19. Entre as atrações do evento estão encontros com especialistas que mostrarão as tendências do setor, rodada de negócios com varejistas da América Latina, além do espaço Inove, dedicado à apresentação das novidades em marcas próprias. Ainda neste ano, nos dias 27 e 28 de outubro, será realizada a Private Label Digital, um evento 100% online.

Descartáveis de higiene em crescimento

A belga Drylock Technologies chegou ao Brasil em 2018, através da aquisição de duas fábricas locais. Assim como na Europa, a empresa é especialista no desenvolvimento e fornecimento de marcas próprias. Em seu portfólio estão descartáveis de higiene pessoal para o segmento de incontinência em adultos, como fraldas, roupas íntimas, absorventes e protetor de colchão, além de fraldas infantis tradicionais devendo, no próximo ano, lançar o modelo pants de fralda infantil. No ano passado, a Drylock registrou crescimento sem o acréscimo de novos equipamentos, afirma Dirceu Forti Filho, Country Manager da empresa, acrescentando que, neste ano, três novos equipamentos já estão em operação.

A pandemia da Covid-19 trouxe vários impactos para empresa, entre eles, a impossibilidade de receber equipes de suporte técnico (do País e do Exterior). “Esse problema, de fato, nos atrapalhou um pouco”, conta Dirceu Forti Filho. Outra dificuldade foi a limitação no fornecimento de matérias primas, uma vez que equipamentos hospitalares, como máscaras, por exemplo, utilizam o mesmo material em sua fabricação. “Não podemos deixar de citar, também, a expressiva variação cambial deste ano. Mais da metade dos materiais utilizados na produção das fraldas são dolarizados”, comenta Dirceu Forti Filho.

Apesar das dificuldades vividas neste ano, a Drylock vê a abertura de muitas oportunidades. “A pandemia está trazendo muito aprendizado e mudança para os brasileiros, especialmente, nos seus hábitos de consumo. Certamente, esse momento irá acelerar ainda mais o desenvolvimento de marcas próprias no Brasil”, afirma Reginaldo Vilalta, gerente de marketing. A Drylock espera fechar 2020 com crescimento de 5% em volume e 10% em valor.

Portfólio ampliado

A pandemia provocada pelo novo coronavírus levou as Indústrias Raymound’s a ampliar seu portfólio de produtos. Além de itens do segmento de oral care, a empresa passou a produzir, também, álcool em gel e produtos relacionados à assepsia das mãos. A Raymound’s está no setor de marcas próprias desde 2004 e a partir de 2012 investiu na verticalização da produção de embalagens, com aquisição de novos equipamentos. O ano passado foi dedicado aos investimentos em seu parque fabril, situado na cidade de Bom Jesus dos Perdões, no Interior de São Paulo, nos laboratórios e setor gráfico.

Aos parceiros interessados em atuar com marcas próprias, a empresa presta toda assessoria, desde a concepção do produto até sua legalização e registro, passando pelo desenvolvimento da formulação, rotulagem e embalagens personalizadas.