Header Ad

Categories

Most Popular

Most Viewed

Limpeza

Com crescimento de 6,2% em valor e 0,5% em volume, a cesta de limpeza apresentou as melhores performances nas categorias de amaciante, que cresceu 9,9% em valor e 3,4% em volume; inseticida, com crescimento de 9,8% em valor e 3,7% em volume e detergente líquido para louça (9,3% de crescimento em valor e 1,9% em volume). Os dados são do Painel de Lares, estudo realizado pela consultoria Kantar Worldpanel.

O bom desempenho da cesta é comprovado por empresas que fabricam produtos utilizados na faxina da casa. A Condor, fabricante, entre outros, de artigos de limpeza e higiene, fechou o ano com crescimento de dois dígitos em relação a 2018. Vassouras, esponjas e panos são os itens que mais se destacam no portfólio da Condor pela sua praticidade e conveniência. Talvez os consumidores não saibam, mas as cerdas para as vassouras são feitas a partir do processamento de garrafas pet. Mensalmente, 1,2 milhão de unidades, ou, mais de 60 toneladas de garrafas, são processadas e granuladas para se transformarem nas cerdas.

A preocupação com a sustentabilidade também está presente no dia a dia da Ypê, que produz mais de 300 produtos em 15 categorias da cesta de limpeza. Nos últimos seis anos utilizou, em média, 53% de resina pet reciclada na fabricação de seus frascos, em substituição ao pet virgem. Além disso, atingiu 98% de embalagens recicláveis disponibilizadas no mercado. Detentora das marcas Assolan, Perfex e Atol, no ano passado, a Ypê cresceu 10,4% em relação a 2018 na participação na cesta limpeza, de acordo com a Nielsen Varejo+Cash, segundo informações de Gabriela Pontin, vice-presidente comercial e marketing da Ypê.



Com um crescimento real, em 2019, de 6%, a Alpes alicerça essa boa performance em quatro famílias de produtos: detergente, sabão, amaciante e desinfetante, que expressam o maior volume de vendas no portfólio da empresa. As matérias-primas que a Alpes utiliza na fabricação de seus produtos são biodegradáveis, de modo a diminuir o impacto do homem sobre o meio ambiente. Esta informação está presente nos rótulos para que os consumidores fiquem cientes das práticas de sustentabilidade da empresa.

Com a chegada da pandemia da Covid-19, as empresas realinharam suas operações visando garantir o mercado abastecido de produtos essenciais à prevenção ao coronavírus. Condor e Alpes adiaram o lançamento de novos produtos, dando prioridade à fabricação daqueles mais úteis aos consumidores, preocupados com os cuidados com a higiene e limpeza. Já a Ypê manteve os lançamentos programados, como o amaciante concentrado Essencial, translúcido e livre de corantes, e o sabão em barra Ypê Natural, de origem 100% vegetal, sem corantes e perfumes, com óleo essencial e testado dermatologicamente.

Os impactos dessa pandemia estão sendo analisados pelas empresas. A Condor elaborou novas estratégias de produção e distribuição e, acreditando que o consumidor irá procurar produtos que ofereçam uma melhor relação custo-benefício, dará prioridade, neste segundo semestre, ao lançamento de linhas mais econômicas. Já a Ypê sofreu, no período inicial da pandemia, com o impacto na cadeia de suprimentos, na importação e também na aquisição de matéria-prima na cadeia nacional. Em relação ao desempenho em 2020, Gabriela Pontin acredita que haverá oscilações por maior e menor demanda em determinadas categorias. Algumas delas, como detergente para louças, sabões e água sanitária tiveram sua demanda bastante aumentada, o que exigiu rápidas adaptações da empresa para atendimento dos consumidores. No entender da Alpes, a pandemia elevou o volume de vendas e, apesar da acomodação do mercado passados os primeiros dias de confinamento, os níveis foram mantidos acima do período pré-pandemia. A empresa acredita num desempenho satisfatório neste ano.